OLOKUM


 

Aforismo

 

  

Havia uma formiga

compartilhando comigo o isolamento

e comendo juntos.

 

Estávamos iguais

com duas diferenças:

 

Não era interrogada

e por descuido podiam pisá-la.

 

Mas aos dois intencionalmente

podiam pôr-nos de rastros

mas não podiam

ajoelhar-nos

José Craveirinha, 1968. Nasceu em Maputo, Moçambique (1922 - 2003), foi é escritor e jornalista moçambicano. De pai português e mãe ronga, colaborou jornais como O Brado Africano, Notícias, Tribuna, Notícias da Tarde, Voz de Moçambique, Notícias da Beira, Diário de Moçambique e Voz Africana. Foi presidente da Associação Africana de Escritores e entre 1965 e 1969 estive preso por sua militância na FRELIMO.

 



Escrito por ana rüsche às 23h58
[ ] [ envie esta mensagem ]


 

Mandela’s Sermon

Blessed are the dehumanized
for they have nothing to lose
but their patience

False gods killed the poet in me.
Now
I dig graves
with artistic precision


Sermão de Mandela

Abençoados são os desumanos
pois não têm nada a perder
apenas a sua paciência

Falsos deuses mataram o poeta em mim. Agora
eu cavo túmulos
com precisão artística


Keorapetse Kgositsile

 

(Tradução: Virna Teixeira)

 

Poeta e ensaísta, o jornalista sul africano Keorapstse Kgositsile nasceu em 1938 e deixou o seu país em 1961 para tornar-se um dos primeiros membros da ANC na luta pela libertação contra o apartheid. Posteriormente foi ministro da cultura na Äfrica do Sul. 

 



Escrito por Virna Teixeira às 17h29
[ ] [ envie esta mensagem ]


Origins

deep in your cheeks
your specific laughter owns
all things south of the ghosts
we once were. straight ahead

the memory beckons from the future
you and I a tribe of colours
this song that dance
godlike rhythms to birth
footsteps of memory
the very soul aspires to. Songs


of origins songs of constant beginnings
what is this thing called
love

Origens

no fundo das suas bochechas
sua risada específica contém
todas as coisas ao sul dos fantasmas
que um dia fomos. adiante

a memória
acena do futuro
você e eu uma tribo de cores
esta música aquela dança
ritmos divinos para o nascer
passos da memória
que cada alma aspira. Canções

de origens canções de inícios constantes
o que é esta coisa chamada
amor


Keorapetse Kgositsile

 

(Tradução: Virna Teixeira)



Escrito por Virna Teixeira às 17h24
[ ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico
03/09/2006 a 09/09/2006
16/07/2006 a 22/07/2006
18/06/2006 a 24/06/2006
11/06/2006 a 17/06/2006
04/06/2006 a 10/06/2006
28/05/2006 a 03/06/2006
21/05/2006 a 27/05/2006
14/05/2006 a 20/05/2006
07/05/2006 a 13/05/2006
30/04/2006 a 06/05/2006
23/04/2006 a 29/04/2006
16/04/2006 a 22/04/2006
09/04/2006 a 15/04/2006
02/04/2006 a 08/04/2006
26/03/2006 a 01/04/2006
19/03/2006 a 25/03/2006




Outros sites
 Cantar a Pele de Lontra
 Zunái, Revista de Poesia e Debates
 Abreu Paxe
 União dos Escritores Angolanos
 Poesia africana de língua portuguesa
 Poesia angolana hoje
 Angola Press
 Valter Hugo Mãe
 Dicionário de autores angolanos
 Papel de Rascunho (Virna Teixeira)
 Claudio Daniel Home Page
 Ana Rusche
 O Pesa-Nervos
 Ademir Assunção
 Ricardo Aleixo
 Luís Carlos Patraquim (Moçambique)
 Moçambique para todos
 SenzalAngola
 Artes plásticas de Angola
 Nota sobre a Literatura de São Tomé e Príncipe
 Autores africanos
 Poesia moçambicana contemporânea
 Fotos da cidade de Maputo (Moçambique)
 Museu Afro-Brasil
 Poesia africana de língua portuguesa